quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Secretaria de Direitos Humanos expõe ações de 2014

Foto Secom
Em entrevista à Rádio Jornal FM no dia 12 de janeiro, segunda-feira, às 9h, o Secretário de Direitos Humanos, Jorge Cácio Barbosa, falou sobre as ações realizadas na Secretaria que beneficiam uma parcela população muitas vezes esquecida. “Pessoas que têm problema com alcoolismo e outras dependências químicas nos procuram para buscar soluções. Já abrigamos mais de 100 pessoas entre jovens, senhores, senhoras”, comentou Barbosa.
Segundo dele, o atendimento não obedece a critérios rígidos. “Dependência química não respeita idade, sexo, faixa etária, camada social. Quem nos procura são pessoas que precisam da atenção do poder público e da família”.
Em função do desenvolvimento e aprimoramento da equipe da Secretaria de Direitos Humanos, o município se encontra mais preparado para receber essas pessoas. “Nossa equipe se entrega de corpo e alma para atender com carinho e atenção essas pessoas. Atuamos de forma profissional nesse atendimento, de acordo com o que é preconizado pelas leis, para acolher e cuidar dessas pessoas cada vez melhor”, comentou o Secretário.
O trabalho da Secretaria é realizado em parceria com: Conselho Municipal da Criança e do Deficiente, Conselho Tutelar, Conselho da Mulher, Conselho do Idoso e Conselho Municipal Antidrogas entre outras entidades representativas. “Todas as nossas ações são acompanhadas de perto pelo Prefeito Marcinho, que faz questão de nos orientar sobre ações que dizem respeito à formação e melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes, jovens e pessoas carentes do nosso município”.
Outra parceria celebrada pelo Secretário refere-se ao time que une todas as principais secretarias da estrutura do governo, como Assistência Social, Educação ou Saúde, para necessidade de buscar cada vez mais benefícios para as crianças e adolescentes.
Evidenciando essas parcerias, Barbosa falou sobre a elaboração de um plano de ação para atendimento às crianças e adolescentes, “motivados pelo prefeito que trabalha principalmente do bem-estar dessa parcela da sociedade sul-paraibana”, disse o Secretário. “É a primeira vez que vejo um prefeito se dedicar e se preocupar com criança e adolescentes – tudo o que é feito na prefeitura pelos jovens e adolescentes tem a ação direta dele”.
Muitas vezes, segundo o Secretário, há uma dificuldade do dependente químico em encontrar um canal onde ele possa expressar suas necessidades. “Na nossa Secretaria lidamos com essas situações de forma carinhosa e séria. Nosso estilo de abordagem é diferenciado. Muitas vezes as pessoas chegam lá sob o efeito de drogas e são acolhidas. Buscamos o auxílio da família e também o lado profissional do tratamento”.
Outro fator preponderante é o seguinte: o dependente químico só pode ser tratado a partir do momento que ele quiser ser tratado, não aleatoriamente. “Essa ideia de que a Secretaria de Direitos Humanos defende ‘bandido’ é falta de informação. Todos temos direito à liberdade, à vida, quem não merece deve ser julgado e punido pela legislação”. Em sua batalha pelas vidas, a Secretaria também visita os lares de pessoas que procuram ou atendendo às denúncias.
“Realizamos um trabalho silencioso. Não podemos lidar com causas alheias e divulgá-las. Isso significa entender também que nossas ações demandam tempo, muitas vezes para encaminhar uma situação demoramos meses”.

A entrevista foi finalizada com a divulgação do telefone da Secretaria de Direitos Humanos: 2263.3229.

Fonte Secom PMPS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COLOQUE SEU NOME NO COMENTÁRIO PARA QUE ELE SEJA ACEITO. Antes de ser publicado, seu comentário será lido pela administração do nosso portal para que possamos assegurar que não exista nenhum tipo de palavreado chulo, de baixo calão, denúncia sem prova, críticas desnecessárias ou quaisquer tipo de difamação ou calúnia. Caso seu comentário venha contribuir para a formação de opinião dos nossos leitores, ele será aceito e postado na íntegra.