sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Governador Pezão autoriza transposição do Rio Paraíba do Sul

Os Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais deverão apresentar até 28 de fevereiro de 2015 uma solução conjunta para o problema da falta de água na Região Sudeste, provocada pela escassez de chuvas. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (27) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, após a audiência de mediação com os governadores dos três estados e órgãos ambientais e de gestão de recursos hídricos dos governos estaduais e federal.
Fux explicou que os Estados já estão autorizados a fazer licitações e obras necessárias ao implemento do acordo a ser apresentado. “Já há um consenso, os trabalhos desse acordo técnico já estão em conclusão e cada estado vai fazer as obras necessárias dentro das suas peculiaridades e características. As obras podem começar antes de fevereiro, funcionando de acordo com a lei de licitações. Não é solução de uma questão só imediata, é a solução prospectiva do problema”, disse.
A decisão do ministro em convocar a audiência de mediação foi motivada por uma ação do Ministério Público Federal para proibir os Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais de concederem autorização para a utilização da água sem que estudos técnicos para avaliação dos impactos ambientais sejam feitos. A ação diz respeito à captação de água da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul para alimentar o Sistema Cantareira, que abastece a região metropolitana de São Paulo.

Ao analisar o caso, Fux negou pedido de liminar por entender que não há provas de que o governo de São Paulo está fazendo obras para captação da vazão da Bacia do Paraíba do Sul. A apresentação do acordo em fevereiro de 2015 acarretará a extinção de todas as ações e procedimentos extrajudiciais no âmbito do Ministério Público relacionadas ao tema.

Fonte: Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COLOQUE SEU NOME NO COMENTÁRIO PARA QUE ELE SEJA ACEITO. Antes de ser publicado, seu comentário será lido pela administração do nosso portal para que possamos assegurar que não exista nenhum tipo de palavreado chulo, de baixo calão, denúncia sem prova, críticas desnecessárias ou quaisquer tipo de difamação ou calúnia. Caso seu comentário venha contribuir para a formação de opinião dos nossos leitores, ele será aceito e postado na íntegra.