segunda-feira, 9 de junho de 2014

Lixo levado para o ‘Lixão da Barrinha’ está sendo incinerado


Todo lixo recolhido das casas e empresas de Paraíba do Sul é levado para o lixão a céu aberto localizado na Estrada Barrinha, no primeiro distrito da cidade, cerca de 3 Km da área urbana. Por falta de um aterro adequado, o lixo é destruído de uma maneira nada sustentável. De acordo com imagens registradas com exclusividade pelo nosso portal, todo lixo é queimado no próprio lixão.
            O sistema da incineração nos lixões produz novos dejetos tóxicos para se enterrar. Para cada quatro toneladas de lixo incinerado, é gerada uma tonelada de cinzas contaminantes, que contém mercúrio, chumbo, cádmio, cromo, arsênico e as dioxinas que são geradas no processo de combustão. Cada vez que se queima um produto, é preciso voltar a fabricá-lo, e isso implica energia, contaminação e contribuição à mudança climática. Além disso, é uma tecnologia cara, que destrói postos de trabalho em reciclagem.
            Um assunto especial de preocupação são as partículas menores que um mícron, que os filtros dos incineradores não retêm. Uma vez liberadas, entram em nosso organismo e, através dos pulmões, passam facilmente à corrente sanguínea e aos tecidos. Exemplificando isso tudo, é simples afirmarmos que a enorme nuvem de fumaça que a incineração da Barrinha está provocando está pondo em risco a vida da população.

            O vereador Edimário Miguel (PSC) esteve presente no lixão para denunciar o problema. “Este problema é muito complexo. É preciso ampliar os projetos e métodos de divulgação para estimularmos a coleta seletiva ainda mais, pois é a melhor maneira de aderir a um programa que diminua esta situação. A criação de um aterro sanitário ou pacto com outros aterros também poderia amenizar esta situação.” – disse.


Redação | Paraíba do Sul AGORA
MAIS FOTOS MAIS INFORMAÇÕES
















Um comentário:

  1. fica uma sugestão para o portal, fazer uma matéria para verificar qual o tratamento e o destino que o lixo recolhido pela "coleta seletiva" está tendo, bem como se os catadores que vivem desse material lá no lixão, estão sendo beneficiados de alguma maneira, se existe algum projeto para eles. Se esse lixo está sendo armazenado separado e como está sendo comercializado.
    Estamos de olho!

    ResponderExcluir

COLOQUE SEU NOME NO COMENTÁRIO PARA QUE ELE SEJA ACEITO. Antes de ser publicado, seu comentário será lido pela administração do nosso portal para que possamos assegurar que não exista nenhum tipo de palavreado chulo, de baixo calão, denúncia sem prova, críticas desnecessárias ou quaisquer tipo de difamação ou calúnia. Caso seu comentário venha contribuir para a formação de opinião dos nossos leitores, ele será aceito e postado na íntegra.